Watch Dogs 2

PS4

Watch Dogs 2

Disponibilidade: Em estoque
R$ 99,90

Sonho hipster

A sequência direta de Watch Dogs é basicamente o que o primeiro jogo deveria ter sido. A começar pela narrativa. A pauta de vingança, explorada de forma rasa pelo desinteressante protagonista Aiden Pearce, foi deixada de lado para dar lugar a um moderno bando de hackers.
Embora a temática também seja delicada como o tema vingança, Watch Dogs 2 é um game muito melhor por não se levar tão a sério. Logo no início, o protagonista Marcus Holloway é recrutado pelo "DedSec", cujo objetivo é desestruturar a versão 2.0 do sistema operacional central de São Francisco, instalado pela "Corporação Blume".
O plano dos hackers para derrubar a rede de dados pessoais, que permite controlar toda a cidade, é executar ataques virtuais subsequentes em alvos pontuais. Para isso, Marcus deve cumprir favores a pessoas influentes e participar de desafios, a fim de elevar a popularidade do nome "DedSec" e, consequentemente, ampliar o número de seguidores.

 Watch Dogs 2: confira a análise completa (Foto: Reprodução/Victor Teixeira)

Watch Dogs 2: confira a análise completa

Há muitas referências a celebridades, figuras e organizações do mundo real, seja do mundo tecnológico ou não, como Donald Trump, presidente eleito dos Estados Unidos, o rapper Kanye West e o coletivo Anonymous, associado ao "hacktivismo". A versão satirizada da nossa realidade, complementada com diálogos bem construídos e toques de humor, é o que dita o ritmo da história.
Os hackers coadjuvantes, assim como Marcus Holloway, esbanjam carisma, o que é um ponto bastante positivo, tendo em vista que o último game apresentou personagens mal desenvolvidos. Apesar de o protagonista falar pouco, há motivos de sobra para gostar dele e de suas ações.

 Watch Dogs 2 tem personagens carismáticos e engraçados (Foto: Reprodução/Victor Teixeira)
Watch Dogs 2 tem personagens carismáticos e engraçados 


Um verdadeiro passeio turístico pela cidade de São Francisco

Diferentemente da metrópole acinzentada de Chicago, palco do primeiro Watch Dogs, São Francisco está muito bem representada com pontos turísticos fiéis à realidade. Cores vibrantes e detalhes minuciosos nos ambientes tornam o mundo aberto de Watch Dogs 2 um dos mais bonitos entre todos os jogos da Ubisoft.Pode parecer exagero, mas explorar a área da baía de moto é como viajar à cidade californiana em carne e osso. Isso porque os principais elementos da região foram recriados com maestria, desde sua estrutura de ruas verticais e construções históricas a praias exuberantes e restaurantes.

 Watch Dogs 2: representação de São Francisco capricha nos detalhes (Foto: Reprodução/Victor Teixeira)
Watch Dogs 2: representação de São Francisco capricha nos detalhes

O resultado final é um mundo crível, com personagens e gráficos realistas de cair o queixo. Tecnicamente, porém, o jogo sofre com alguns problemas de bugs aqui e ali, além de quedas ocasionais na taxa de quadros – principalmente no PS4 Pro por proporcionar um visual acima da média –, mas nada que seja capaz de comprometer a experiência.

Piratas de computador

Watch Dogs 2 é diferente do primeiro episódio em diversos aspectos. O principal ponto é que as mecânicas de hack, aqui, funcionam. O número de interações com elementos do cenário é muito maior em comparação ao antecessor, e todas as ações são executadas de forma natural – semáforos hackeados não provocam mais acidentes exagerados e fora da realidade, por exemplo.

 Watch Dogs 2 traz novidades que enriquecem a jogabilidade como hacker (Foto: Reprodução/Victor Teixeira)

Watch Dogs 2 traz novidades que enriquecem a jogabilidade como hacker 

O jogador consegue controlar praticamente todos os objetos que compõem o ambiente, desde guindastes e sinais de trânsito a veículos e sistemas de segurança. Se no primeiro Watch Dogs a diversão era bloqueada pelas limitada mecânica de hack, agora, a sensação é de ter assumido controle total da cidade.
Marcus tem à disposição dois periféricos tecnológicos projetados por meio de uma impressora 3D: um drone padrão para facilitar a exploração no ar – disponível para compra após as missões iniciais – e um carrinho de controle remoto, oferecido logo no começo da jogatina.
Com o auxílio dos acessórios, Marcus não precisa estar fisicamente presente no local da missão para que a invasão virtual aconteça, visto que os robôs são controlados remotamente. Isso possibilita novas táticas e garante uma camada extra de complexidade ao gameplay.

 Watch Dogs 2: Marcus tem à disposição dois periféricos tecnológicos (Foto: Reprodução/Victor Teixeira)
Watch Dogs 2: Marcus tem à disposição dois periféricos tecnológicos

Por conta do número maior de oportunidades, a inteligência artificial dos oponentes está mais refinada. Como não é permitido carregar e esconder corpos, o nível de dificuldade foi amplificado. À vista disso, é preciso pensar duas vezes antes de derrubar o inimigo em sua posição atual.O sistema de habilidades também foi consideravelmente expandido. Marcus pode se especializar em três tipos de combate: agressor, trapaceiro e fantasma. Ao atuar como agressor, o personagem utiliza armas letais e aguenta trocar tiros. No caso de agir como trapaceiro, ele recorre a dispositivos tecnológicos para derrubar os rivais, enquanto o fantasma é voltado unicamente às ações furtivas.
As especialidades de combate são muito bem-vindas, já que deixam o jogador livre para moldar o personagem de acordo com o estilo de jogo desejado. Mesmo com toda essa liberdade, Watch Dogs 2 funciona melhor como um game stealth, uma vez que seus quebra-cabeças e desafios foram projetados para serem resolvidos de forma sorrateira.

 Watch Dogs 2 traz boa variedade de missões (Foto: Reprodução/Victor Teixeira)
Watch Dogs 2 traz boa variedade de missões 

Ainda que boa parte das missões da história se resumam a entrar furtivamente em um local protegido, há muito a se fazer pela cidade. São Francisco está literalmente recheada de corridas de kart, drones, carros e motos, enigmas e desafios de fotografia. São tantas atividades a cumprir que é comum ficar perdido em meio a tantos ícones sinalizados no minimapa.Esse talvez seja um dos games de mundo aberto mais diversificados da atual geração – desde o lançamento de GTA 5 o mercado está carente de um projeto ambicioso com ambientação urbana. Certas tarefas se repetem de vez em quando, mas a qualidade do conteúdo é inquestionável.
O componente online, por sua vez, é integrado ao modo campanha e traz modos competitivos e cooperativos. O personagem pode concluir objetivos multiplayer a partir do mapa da campanha single-player, que destaca as missões online em roxo.
Durante o nosso período de testes para a realização desta análise, o modo online apresentou problemas de conexão. Por conta disso, não foi possível experimentar todos os recursos, mas pode-se perceber que as partidas têm a proposta do primeiro Watch Dogs, com perseguições entre usuários e confrontos intensos de hack.

Conclusão

Watch Dogs 2 acerta em praticamente tudo a que se propõe. Em vez de tentar reinventar a fórmula, a Ubisoft entregou o que havia prometido com o anúncio do primeiro game: uma experiência robusta em que o jogador pode ter pleno domínio do mundo ao qual pertence. De fato, foi preciso formatar o sistema e recomeçar do zero para a franquia receber o devido prestígio.

  

  • Legenda: Português BR
  • Audio: Português BR
  • Tamanho: 24,8 GB
 
 

Avalições

Based on 1 review Escreva uma avaliação