Mirror's Edge Catalyst

PS4

Mirror's Edge Catalyst

Disponibilidade: Em estoque
R$ 59,90

Um rebooot que não é reboot

O jogo tem a premissa básica de ser um reboot, ou seja, um reinício da história para Faith. Por esse motivo ele não carrega o “2” no nome, pois de fato não é para ser uma continuação da história anterior. Porém, sua cronologia não é exatamente fixa.

 Mirrors Edge Catalyst marca o retorno de Faith (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)
Mirror's Edge Catalyst marca o retorno de Faith 

Nesta continuação, Faith já está estabelecida como corredora e entregadora, assim como no primeiro game. Mais adiante da história vemos trechos e detalhes de sua vida no passado, mas ela já começa a aventura mais ou menos como foi vista no jogo original. Inclusive, ela recupera a velha roupa de corrida pouco tempo depois.
Ao sair de uma prisão, Faith recomeça a vida e reencontra antigos corredores que faziam parte de sua equipe. A jovem novamente passar a lidar com casos, corridas e entregas que precisam ser feitas na cidade de Glass. O sentido de continuação ou reboot não está muito presente. Parece-nos que esta é uma história solta na vida da protagonista, artifício que pode ser usado para contar outras histórias no futuro, se necessário.

 Mirrors Edge Catalyst tem história simples (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)
Mirror's Edge Catalyst tem história simples  Isso não chega a comprometer, já que o primeiro Mirror’s Edge não tinha como forte a história, mas sim a protagonista. Faith Connors é o maior acerto da série, já que ela é uma boa personagem, decidida em suas crenças e poderosa o suficiente para guiar a própria vida. E essas “falhas” de roteiro e colocação cronologia são a menor preocupação dos jogadores...

Uma inovação que não é inovação

Mirror’s Edge Catalyst demorou bastante para sair. Foram anos com a EA prometendo um novo capítulo da saga e nunca entregando aos fãs. Com isso temos a expectativa criada, algo que precisa ser sempre levado em conta: o dito “hype”. É esperado que o jogo, no mínimo, supere o antecessor e inove com alguns elementos inéditos.

 Mirrors Edge Catalyst continua aventura de parkour (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)
Mirror's Edge Catalyst continua aventura de parkour

É verdade que Catalyst tem diversos atrativos para novos e antigos fãs. Toda a jogabilidade original está ali, de certa forma. A corrida de Faith ainda é o motor que agita todo o game, bem como seus movimentos de parkour, que são facilmente executados com simples combinações nos botões do controle do jogador.
Há também os combates, que ao mesmo tempo foram simplificados e aprimorados. Faith pode bater nos inimigos com as mãos e pés, com os comandos certos ativados no tempo certo. Há inimigos que apanham mais facilmente, outros que usam armaduras e precisam de estratégia superior, ou até mesmo aqueles ágeis o suficiente para esquivar dous ataques e que necessitam de mais agilidade no joystick.

 Mirrors Edge Catalyst não tem combates muito interessantes (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)

O mundo de Mirror’s Edge

Catalyst traz um verdadeiro sistema de mundo aberto, o que é muito bom. O mapa, claro, não é enorme como em outros games similares, principalmente por se passar somente nos telhados e topos de arranha-céus, e não nas ruas – no máximo dentro de alguns prédios. É possível explorar boa parte logo de cara.

 Cenários de Mirrors Edge Catalyst (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)
Cenários de Mirror's Edge Catalyst 

Porém, o restante da jogabilidade compensa um pouco os problemas iniciais. Apesar de não “reinventar a roda”, Mirror’s Edge Catalyst traz o melhor de Faith nos movimentos livres pelos prédios. O mais divertido é que agora o jogo é assumidamente de mundo aberto, e por isso a jovem pode seguir o caminho que bem desejar, de acordo com a decisão de quem joga – o que nos leva ao próximo ponto positivo do título.

 Agora temos mundo aberto em Mirrors Edge Catalyst (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)
Agora temos mundo aberto em Mirror's Edge Catalyst 

Apesar de ser livre, Catalyst sugere passagens por onde o jogador pode seguir de forma mais segura, com um caminho vermelho pré-definido, de acordo com o apertar de um botão. A dica de caminho facilita para quem não tem paciência de explorar a cidade e quer apenas seguir com a história. 
As sequências de parkour, a corrida livre, também continuam de tirar o fôlego. Mirror’s Edge Catalyst consegue capturar bem o sentimento de estar em grande velocidade, pular por uma grade para, em seguida, passar deslizando por um telhado vizinho. O jogo te encoraja a ter sempre uma velocidade constante, pois isso gera um “escudo” natural de Faith, contra golpes inimigos.

 Há vários bons momentos em Mirrors Edge Catalyst (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)
Há vários bons momentos em Mirror's Edge Catalyst 

Para apimentar um pouco mais a aventura, a EA adicionou elementos extras na fórmula. As funcionalidades online não existiam no primeiro jogo, que era totalmente offline. Não há multiplayer, mas temos corridas criados por usuários, por exemplo. Além de funções sociais para comparação de resultados de corrida que não faziam muita falta, mas que foram boas adições.
Todo o sistema de evolução de Faith, de suas habilidades e trejeitos únicos, também ficou caprichado e dedicado. Mirror’s Edge Catalyst tenta fazer diferente, apesar de cair muito no “mais do mesmo” em diversos momentos da jogabilidade.

.

  

  • Legenda: Português BR
  • Audio: Inglês
  • Tamanho: 10,5 GB
 
 

Avalições

Based on 1 review Escreva uma avaliação