DuckTales: Remastered

PS3

R$ 21,89
Licença
-
+
Marcadores / / / /
Descrição

DuckTales Remastered é uma excelente oportunidade de conferir uma releitura devidamente revigorada de um título que é, de forma quase unânime, considerado um dos melhores já lançados para o saudoso Nintendinho (NES). Isso no hoje longínquo ano de 1989.

Img_normal

 

Afinal, em uma era que ainda era marcada por naves, carros e sujeitos armados que se limitava a ir “em frente” enquanto atiravam em tudo o que se movia, DuckTales “se atreveu” a aparecer com um side-scroller com história épica e andamento não linear. É claro, não seria de se admirar, já que o game original foi projetado por grande parte das cabeças responsáveis pela franquia Mega Man.

Ao fim e ao cabo, DuckTales se tornou o título mais vendido tanto para o NES quanto, posteriormente, para o Game Boy — que acabou ganhando um excelente porte em 1990. Bem, mas o que dizer do resgate promovido agora pela produtora e capitaneado pela WayForward?

Avaliar o relançamento de um clássico é sempre uma tarefa tão prazerosa quanto ingrata. Por um lado, há a maravilha de se ver diante de um colosso de outros tempos, o qual vem agora com visuais renovados e perfumarias variadas. Por outro lado, há sempre a questão: qual é a colocação de um game desses nos dias de hoje? Ainda pode ser divertido? E os gráficos, são “bons”, “ruins” ou é melhor não se arriscar em uma heresia em potencial?

Img_normal

 

Ok, sem temores fanáticos aqui. DuckTales consegue, de fato, ser um belo jogo, ainda incrivelmente divertido — desde que games em plataforma façam o seu estilo, é claro. Apesar disso, também não escapa de algumas derrapadas. Enfim, vejamos isso tudo mais de perto.

O melhor da plataforma 80’s

Não é preciso mais do que alguns minutos jogando para entender por que DuckTales foi considerado um dos melhores títulos do NES — e mesmo da geração 8 bits, sem qualquer exagero. Trata-se aqui, com certeza, do sumo do que constituía os melhores games em plataforma dos anos 80 — uma época em que headshots e multiplayer ainda não eram quesito necessário para a formação de um blockbuster.

E em Remastered a jogabilidade continua tão fluida quanto no game original. Tio Patinhas executa saltos consistentes, evitando as tradicionais frustrações por conta de comandos que não respondem como deveriam. E há também inúmeros elementos que constituem um bom game em plataforma clássico, tais como passagens escondidas, itens especiais e chefões — incluindo, como bônus, o bom humor tradicional da série animada.

Uma aposta não linear

Este, na verdade, é um mérito do jogo original para o NES. Embora hoje seja perfeitamente normal encontrar — mesmo em jogos com propostas clássicas — mundos de jogo não lineares, à época, o mais comum era jogar o aventureiro em linha reta, açoitá-lo com chefes em dificuldade crescente e, ao final, presenteá-lo com o que quer que fosse.

Img_normal

 

Em DuckTales, entretanto, você pode começar por qualquer uma das cinco fases disponíveis. E, ainda melhor, isso faz muito sentido quando se olha para a história: tio patinhas encontrou códigos que levam a um grande tesouro, embora, para isso, precise coletar relíquias espalhadas por todos os cantos da Terra (e também na Lua!). É fácil perceber que uma abordagem linear simplesmente não faria sentido.

Gráficos remodelados

Conforme já seria de se imaginar, Remastered melhora substancialmente os gráficos do game original do NES. Mas o mérito da WayForwad não está só nisso. Na verdade, o game ganhou também diversas animações adicionais — dando mais vida aos entreatos da história. Além disso, cada cenário apresenta agora fundos dinâmicos (cheios de elementos móveis), com uma bela sensação tridimensional.

O bom resultado é fruto de pinceladas à mão de artistas dos estúdios da Disney — de maneira que nada veio “de fora”, tratando-se apenas profissionais veteranos. A opção de levar traços “reais” para dentro do jogo é, sem dúvida, um dos motivos para os belos efeitos de luz e sombras de DuckTales Remastered.


Bela Dublagem


Eis outra boa adição aqui. Naturalmente, o título lançado para o Nintendinho não tinha qualquer fala — uma limitação clássica da geração 8 bits, com raras exceções. Em Remastered, entretanto, você poderá ouvir os dubladores clássicos da animação para TV (em inglês). E nisso se inclui a voz do Tio Patinhas desde os anos 80: o dublador Alan Young, de 93 anos, e ainda na ativa.

 


Especificações
  • Áudio: Inglês
  • Legenda: Inglês
  • Tamanho: 643 MB

Trailer
Gameplay

Tipos de Licença

Avalições

Based on 1 review Escreva uma avaliação

Produtos vistos recentemente